Rede de Escolas


Rede de “Escolas Reserva da Biosfera”


A Reserva da Biosfera nas escolas do concelho, condições propícias à transmissão de saberes importantes subordinados à temática do desenvolvimento sustentável, os quais se entrecruzam muitas vezes com as matérias disciplinares. Por outro lado, encara as crianças e jovens como fiéis consignatários e portadores privilegiados de uma filosofia e de um novo estilo de vida que se pretende implementar.

Deste modo, todas as escolas de Santana aceitaram os desafios propostos para que fossem consideradas “Escola Reserva da Biosfera”, abraçando o compromisso de responsabilidade partilhada para com a Região Autónoma da Madeira, e para com a UNESCO.

Descerramento das Placas "Escola Reserva da Biosfera"

Neste processo pedagógico e educativo que incide sobre alunos, professores, encarregados de educação, comunidade educativa e sociedade em geral, todos saem a ganhar pois, usufruem da real oportunidade de aprender, temáticas como: ambiente, fauna, flora, património, agricultura, etnografia, cultura, tradição, e muito mais, tudo numa verdadeira relação entre o Homem e o Meio.

São “Escolas Reserva da Biosfera”:



Rede de Escolas Associadas da UNESCO


Aquando do processo de candidatura a Reserva Mundial da Biosfera duas escolas inscreveram-se de forma imediata na rede de escolas associadas da UNESCO:

Em 1953 a UNESCO lançou o projeto da Rede de Escolas Associadas. Em 2004 esta rede incluía já mais de 7.500 instituições de ensino, desde a educação pré-escolar até à formação de professores, em 175 países.

As Escolas Associadas comprometem-se a promover os ideais da UNESCO, desenvolvendo e preparando melhor as crianças e os jovens para enfrentarem os desafios de um mundo cada vez mais complexo e interdependente. São instituições admitidas pelas autoridades nacionais a participar no sistema do SEA e tornarem-se escolas piloto, inspirando outras instituições a empreender projetos similares.

A participação como Escola Associada possibilitou à EB1/PE/C de São Jorge a realização de uma cooperação interterritorial com o objetivo de aceder a informação e novas ideias, de aprender com outras regiões, de estimular e apoiar a inovação, de adquirir competências e melhorar a transferência de experiências e saberes.

A escola parceira foi a Escola B1/JI de Vilar do Monte – Vila Cova – Barcelos. Ambas as escolas tinham por missão a realização de intercâmbio cujo resultado final foi a criação de um roteiro “Dois dias em…” onde todos os aspetos foram contemplados por forma a que quem visitasse as localidades fique a conhecer a biodiversidade de cada um dos territórios.

A particularidade desta ação residiu no facto das escolas terem efetuado o trabalho de pesquisa sobre o que não conheciam e apresentassem um roteiro de acordo com as experiências e as vivências alcançadas.